Notícias quentes estão aqui!

Deputado Ciro Neto participa de Audiência pública sobre utilização de gás veicular e industrial no Maranhão.

59

Foi realizada na tarde desta quarta – feira (22/05), pela Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia maranhense, a audiência pública “Gás natural, distribuição de gás veicular para utilização no Estado”, que discutiu as estratégias para a produção e distribuição de Gás Natural Veicular (GNV), a ser utilizado em larga escala pela Eneva, empresa responsável pelo Complexo Parnaíba, onde o gás natural é explorado, abrangendo os municípios de Lima Campos, Capinzal, Pedreiras, Trizidela do Vale e Santo Antônio dos Lopes.

Participaram da audiência, além de representantes do Sindicato dos Taxistas, de aplicativos e de transportes alternativos, o presidente da Companhia Maranhense de Gás (Gasmar), ex-deputado Deoclides Macedo; Giancarlo Ciola, gerente de Relações Institucionais da Eneva; Elisa Soares, gerente de Relações Externas da mesma empresa; os deputados Antônio Pereira (DEM), Arnaldo Melo (PMDB) e Ciro Neto (PP), e o coordenador de Fiscalização da Secretaria de Estado da Fazenda, Jorge Castro.

Os dois representantes da Eneva salientaram que a audiência pública é o ponto de partida para o início de um leque de discussões em torno da distribuição do gás veicular e industrial no Maranhão. Um projeto de larga escala. Isso fez com que Deoclides Macedo, presidente da Gasmar, destacasse que uma das prioridades do governador Flávio Dino é exatamente fazer com que o órgão que dirige, com a Eneva, encontre uma solução para que o gás explorado no Maranhão chegue aos maranhenses em forma de gás de cozinha, gás industrial e veicular.

“A Gasmar e a Eneva têm uma relação estreita. O governador Flávio Dino tem mostrado preocupação no sentido de que a população do Maranhão também seja beneficiada com tamanha riqueza que há no subsolo do Estado”, disse Deoclides.

Fazendo um comparativo sobre a questão da economia com a utilização do GNV, os deputados afirmaram que, com R$ 80 de gasolina, o motorista só consegue chegar até Rosário, enquanto que, com o mesmo valor abastecendo o carro com gás veicular, chega até a cidade de Caxias.

Ciro Neto disse que “o Maranhão é um grande estado e que a riqueza do gás tem que ser distribuída com a nossa população. Ela tem que chegar aos lares como gás de cozinha, nas empresas como gás industrial e nas frotas como gás veicular”, afirmou.

Como representante da Secretaria de Fazenda, Jorge Castro afirmou que o órgão que trabalha, por determinação do governador Flávio Dino, vai oferecer os benefícios fiscais necessários, com a redução da base de cálculo a partir das operações com o GNV. Ele disse que o governo maranhense tem compromisso com o referido projeto.

Fonte: ALEMA.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.