Dois presos morrem e 14 seguem internados por suspeita de leptospirose em presídio no Piauí.

Dois presos morrem e 14 seguem internados por suspeita de leptospirose em presídio no Piauí.

Dois presos morreram e 14 seguem internados por suspeita de leptospirose na Cadeia Pública de Altos, a 37 km de Teresina. A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) informou pela primeira vez sobre a infecção no início do mês, quando 48 detentos apresentaram sintomas parecidos. Na época, sete deles foram internados, um morreu na quinta-feira (14) e um segundo óbito foi registrado nessa terça-feira (19). A doença infecciosa é causada pela leptospira, uma bactéria encontrada na urina de roedores e de outros animais.

Em nota, a Secretaria de Estado da Justiça informou que os detentos que vieram a óbito apresentaram sintomas de uma infecção ainda não identificada. Outros 14 detentos estão internados em hospitais de Teresina. A Sejus destacou que está realizando exames e investigando a causa dos sintomas apresentados pelos internos da Cadeia Pública de Altos.

A suspeita é que os presos tenham sido contaminados pela água do presídio, de acordo com relatório preliminar da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) encaminhado para o Ministério Público do Piauí (MP-PI), durante audiência realizada pela 2ª Promotoria de Justiça de Altos.

O exame preliminar da Sesapi teria detectado a presença de coliformes fecais na água e o quadro clínico de alguns dos detentos foi apontado como leptospirose, infecção causada por bactéria transmitida por animais como o rato por meio do contato com água, solo ou alimentos contaminados.

Depois de relatada a suspeita de contaminação pela água, a Sejus afirmou realizou a limpeza da caixa d’água e tubulação da unidade, bem como irá implementar o tratamento da água da penitenciária, que, até que a situação seja resolvida, os internos estão consumindo água mineral.

Casos

Os sete primeiros detentos que foram internados apresentaram um quadro de insuficiência renal. No dia 8 de maio, quatro deles tiveram alta e três permaneceram hospitalizados. Por questão de segurança, devido à pandemia da Covid-19, os pacientes foram testados para o coronavírus, mas os exames deram negativo.

Na quinta-feira (14), um preso identificado pelas iniciais F.W. M. S., morreu após apresentar quadros de insuficiência renal, septicemia e pneumonia no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Nessa segunda-feira (18), mais cinco detentos precisaram ser hospitalizados. A Sejus não soube informar se os detentos internados nesta segunda já estavam entre os que tiveram a infecção detectada ou se são novos casos.

A Sejus também não informou sobra internação de outros sete presos, que somados aos cinco internados na segunda (18), totalizam os 14 detentos hospitalizados.

Nota na íntegra

A Secretaria de Estado da Justiça informa que os internos Francisco Wellington Moraes Santos e Martoniel Costa Oliveira, ambos da Cadeia Pública de Altos, vieram a óbito, com sintomas de uma infecção ainda não identificada. Outros 14 detentos estão internados em hospitais de Teresina. Diante dessa ocorrência, a Sejus está realizando ações de controle na unidade penal. Dessa forma, uma equipe de médicos especialistas está acompanhando, diariamente, os internos do presídio. Além disso, a Sejus realizou a limpeza da caixa d’água e tubulação da unidade, bem como irá implementar o tratamento da água daquela penitenciária. Enquanto isso, os internos da unidade penal estão consumindo água mineral. A Sejus informa, ainda, que está realizando exames e investigando a causa dos sintomas apresentados pelos internos da Cadeia Pública de Altos.