Homens são presos por roubar dados, hackear contas em sites e retirar produtos em nome das vítimas.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Dois homens foram presos em flagrante pela Polícia Civil por aplicar golpes através de compras pela internet. De acordo com a corporação, o grupo roubava dados das vítimas, hackeava contas em sites de compras e retirava produtos em lojas do Recife. Outras duas pessoas ainda são procuradas

De acordo com o delegado Douglas Camilo, da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, os criminosos obtinham os dados das vítimas por meio de ligações telefônicas e, rapidamente, produziam os documentos falsos.

“Esse grupo obtinha dados de algumas pessoas, falsificava os dados e se dirigia à operadora de telefonia. Se passando por essa pessoa, resgatavam seu número de telefone, conseguiam hackear seu e-mail e redes sociais e, a partir daí, começavam a fazer compras nos estabelecimentos comerciais aqui no Recife, por meio da internet”, explicou o delegado.

Foram apreendidos equipamentos eletrônicos, perfumes, celulares e cosméticos. O padrão de compras, segundo o delegado, era pensado de forma estratégica.

“Colocavam sempre compras de médio porte, para não chamar muita atenção, e para retirar no local. A maioria dos estabelecimentos no mesmo dia colocavam para retirada, antes de detectar a fraude, e eles, com documentos falsos, se passavam pelas vítimas e faziam a retirada”, declarou.

Os criminosos são de Natal, no Rio Grande do Norte, mas sempre faziam as compras no Recife. As primeiras prisões ocorreram numa loja da Imbiribeira, na Zona Sul, quando dois homens chegaram para retirar um produto comprado no local, pela internet.

A Polícia Civil decidiu ir ao local porque uma das vítimas recebeu por e-mail uma mensagem dizendo que o pedido feito pelos criminosos já podia ser retirado. No carro em que eles estavam, foram encontrados objetos que, segundo a polícia, teriam sido retirados de outras lojas.

Eles estavam hospedados num hotel, onde foram encontrados notebooks, micro-ondas, celulares, perfumes, remédios e joias, além de várias cédulas de identidade falsas e uma máquina para plastificar documentos.

POSTS RELACIONADOS